Embreagem: Como funciona e dicas para prolongar sua vida útil

Dono deve cuidar da embreagem do carro

Fundamental para o funcionamento dos carros, a embreagem tem diferentes e importantes funções. Ela é responsável por transmitir a energia do motor para a caixa de câmbio, possibilitando a saída do veículo. Além disso, permite as trocas de marchas e paradas do carro sem o desligamento do motor.

Ela ainda tem a função de amortecer as vibrações geradas pelo motor, diminuindo ruídos e desgastes dos componentes da transmissão.

Mas e na prática, como a embreagem funciona?

Componentes e funcionamento

O sistema de embreagem é composto pelo rolamento, platô (placa de pressão), disco, sistema hidráulico e o pedal de embreagem.

No motor, existe o volante do motor, que é responsável por transmitir o movimento para a caixa de câmbio. Quando nossos pés não estão tocando o pedal, as molas empurram o platô contra o disco de embreagem, que então é pressionado contra o volante motor. Assim, o motor é ligado ao câmbio, e ambos giram na mesma velocidade.

Quando acionamos o pedal, o pistão hidráulico pressiona o rolamento da embreagem contra a mola diafragma que, por sua vez, ao ser empurrada, faz com que o platô recue, deixando de pressionar o disco contra o volante do motor em funcionamento. Isso faz com que acabe a transmissão de torque para a caixa de câmbio, para que seja trocada a marcha.

De forma resumida, para o motor e o câmbio trabalharem de forma sincronizada, o motorista precisa acionar a embreagem através do pedal esquerdo. Cada vez que ele pisa no pedal, o conjunto é desconectado até que ocorra a troca de marcha. Ao soltar o pedal, o sistema é conectado novamente, fazendo o carro entrar em movimento ou rodar com a marcha ideal.

Manutenção e cuidados

Por ter funções tão importantes para o funcionamento do veículo, o sistema de embreagem demanda cuidados especiais, mas que não são complicados. Basta o dono do carro adotar algumas práticas para aumentar a vida útil das peças.

Quer fazer sua embreagem durar mais? Então confira essas dicas:

1. Não esqueça o pé no pedal

Uma prática comum entre os motoristas, mas que contribui muito para o desgaste prematuro das peças: descansar o pé no pedal da embreagem enquanto o carro está em movimento afasta o platô do disco e pode causar seu lixamento, levando ao superaquecimento do sistema. Lembre-se de nunca manter o pé na embreagem inclusive nas descidas.

Quando o automóvel estiver parado em engarrafamentos, por exemplo, utilize o ponto morto, mantendo o pé no freio ou com o freio de mão puxado. Dessa forma, você não fica com o pé na embreagem, forcando o sistema.

2. Não controle o carro com a embreagem

Quando parar em uma subida, evite controlar o carro com a embreagem, pois isso danifica o disco. Utilize sempre o pedal de freio (freio de serviço) ou o freio de mão (uma ótima opção, que traz mais segurança na hora de arrancar o automóvel).

3. Respeite a sincronia do câmbio

É importante que o condutor, quando aumentar ou diminuir a velocidade, respeite a ordem das marchas: de segunda para terceira, de terceira para quarta, conforme as rotações do motor.

Da mesma forma, evite arrancar o carro em segunda marcha, utilizando sempre a primeira para iniciar o deslocamento do carro. Assim, as peças da embreagem podem trabalhar de forma suave, evitando o desgaste prematuro.

4. Acerte a sincronia entre a embreagem e o acelerador

Na hora de arrancar o carro, é importante acertar a sincronia entre soltar a embreagem e pisar no acelerador. Quando você acelera muito e solta pouco a embreagem, ocorre um fenômeno chamado de “queima de embreagem”, que impede que o veículo se desenvolva e aumenta o consumo de combustível.

Sinais de que a embreagem está com problema

A vida de uma embreagem, portanto, depende muito dos hábitos do motorista. E mesmo seguindo todas as dicas e cuidados, às vezes é necessário trocar alguma peça do sistema.

O dono do carro deve estar atento, um dos sinais de que sua embreagem pode estar com problemas está relacionado ao comportamento do pedal. Ao acionar a embreagem, preocupe-se se o pedal estiver enrijecido ou se o curso estiver mais curto ou mais longo que o normal.

Aspectos como trepidações, patinações, ruídos na caixa de câmbio e dificuldade ou impossibilidade de engatar as marchas merecem atenção. E a presença de fumaça é um sinal extremo de que o sistema está sendo muito forçado, gerando atrito excessivo entre o disco de embreagem e volante do motor.

Nesses casos, é necessário procurar uma oficina de confiança, com profissionais qualificados, para ter um diagnóstico preciso. E caso seja necessário substituir alguma peça, atenção: fuja de peças falsificadas. Escolha sempre autopeças originais, garantindo sua segurança e o bom desempenho do seu veículo.

Para saber como identificar uma peça automotiva falsificada, basta conferir nosso post.

Referências:

salaodocarro.com.br/como-funciona/como-funciona-embreagem.html

revistaautoesporte.globo.com/Servico/autoajuda/noticia/2015/12/autoajuda-embreagem.html

orca.com.br/blog/como-evitar-o-desgaste-precoce-da-embreagem.html

Leave a Comment